Lei da Pureza Alemã completa 500 anos

Fritz Cervejaria Artesanal segue à risca a produção e mantém 22 lojas no Brasil

As cervejas especiais e artesanais já são as queridinhas de muitos brasileiros e isso se deve, em grande parte, à Lei da Pureza da Cerveja (Reinheitsgebot, em alemão) instituída pelo duque Guilherme IV na Baviera, em 23 de abril de 1516 e que, neste sábado, completa 500 anos.

chope dunkel fritz

chope dunkel fritz

O Fritz Cervejaria Artesanal elabora cinco tipos de cervejas e chopp seguindo a lei alemã com matéria prima importada, supervisionado pelo mestre cervejeiro alemão Jörg Franz Schwabe. A água utilizada no processo de fabricação vem de uma fonte própria, localizada nas montanhas da cidade de Monte Verde (MG). Dessa forma, a bebida está protegida de contaminações e se torna mais pura.

A Lei da Pureza determina que as cervejas só podem ser produzidas utilizando água pura, malte da cevada e lúpulo. Na época, o duque alemão tinha vários motivos para essa regra, pois os cervejeiros na tentativa de ‘inovar’ suas receitas, acrescentavam ingredientes que faziam mal à saúde, como fuligem e cal.
Com a elaboração de mais cervejas especiais, um documento deu liberdade para os fabricantes, o Bierteuergesetz (BStG) ou Lei da Taxação da Cerveja. Sendo que, a bebida pode ser taxada de acordo com o teor alcoólico.

A Lei da Pureza hoje

Nas cervejas de baixa fermentação foram autorizados o malte de cevada, o lúpulo e a água, como na lei de 1516. Enquanto nas de fermentação elevada, foram permitidos, além desses ingredientes, os maltes de outros cereais com um número limitado de açúcares e corantes.

Deixei um comentário